Pesquisar este blog

Sejam bem vindos!

Sejam bem vindos ao meu blog! Aqui você encontrará dicas sobre alimentação saudável, nutrição esportiva, notícias sobre saúde e ainda algumas receitas. Aproveitem! Um grande abraço!

Livia Hasegawa

Agende sua consulta!

www.nutricaoesportivaeclinica.com


Instagram: @liviahasegawa

sexta-feira, 31 de março de 2017

A polêmica do óleo de coco

Devido a algumas polêmicas envolvendo o óleo de coco esses dias e várias mensagens perguntando minha opinião, vou deixar aqui meu parecer sobre o óleo de coco (p.s.: não acredite só em mim, pesquise, estude. Eu tenho de base “minha opinião” em estudos científicos e experiência em consultório, mas não sou e nunca serei a dona da verdade. Pode ser que daqui uns dias eu faça um post desmentindo tudo isso, caso saia algum trabalho evidenciando o inverso. Eu nunca paro de estudar e tenho minha cabeça aberta para ler tudo e ter o discernimento do que faz ou não sentido).
·       -  Temos ótimas evidências científicas que não existe associação direta entre gordura saturada na dieta e mortalidade por todas as causas, doença cardiovascular, doença coronariana, isquemia cerebral ou diabetes tipo 2 (Ramsden, et al. BMJ, 2013).
·      -   Também temos diversas evidências científicas mostrando que o óleo de coco não possui efeitos inflamatórios (coloquem no pubmed “coconut oil inflammation” para acessar algumas referências).
·     -    Um estudo clínico randomizado feito com pacientes que apresentam doenças coronarianas, publicado em 2016 (Vijayakumar, et al , 2016) conclui que “apesar de o óleo de coco ser rico em gorduras saturadas, comparando seu uso com o óleo de girassol por um período de 2 anos, não houve nenhum aumento de risco cardiovascular nestes pacientes”.
·     -    O fato é que você não vai ficar usando óleo de coco em excesso. Tudo em excesso faz, mal, não tem saída.
·     -    Usar o óleo de coco para emagrecer e ter uma dieta cheia de carboidratos refinados, comer doces, etc não adianta de nada. O óleo de coco por si só não vai te emagrecer, amiga! Me desculpe.
·     -    O óleo de coco num contexto de uma dieta saudável e equilibrada, juntamente com outros hábitos saudáveis pode sim te trazer benefícios.
·     -    Por fim, vejam as fotos dos meus últimos exames de sangue. Há 6 ou 7 anos que como 2 a 4 ovos todos os dias, cozinho praticamente só com óleo de coco ou azeite ou manteiga. Tenho um estilo de vida saudável. Meu pai é cardíaco, já sofreu um infarto, tem colesterol alto, triglicerídeos alto, etc e vejam meus exames.
·    -     Portanto Brasil, não tenham medo do óleo de coco. Ele não vai salvar sua vida, mas também não vai te matar de forma alguma!
·     -    E por fim, não se fuja da gordura natural dos alimentos, mas também não se force a comer excesso de gorduras.

·     -    E por fim “2”: Não acredite em tudo o que sai na mídia e redes sociais.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Evento Verão Rio O Globo

Este mês de janeiro estive participando do evento Verão Rio O Globo na praia de Ipanema, no RJ.

Foi um evento promovido pelo jornal O Globo, com shows e diversas atividades na praia. Estive prestando uma consultoria para uma empresa falando sobre um colágeno para as articulações. 

Nosso stand estava distribuindo o colágeno para os frequentadores e Ainda oferecendo reflexologia.

Durante o evento também realizei uma palestra sobre a importância do colágeno tipo 2 para as articulações. 

Sabemos que com a idade vamos perdendo a capacidade de produção de colágeno, o que pode levar a dores articulares e em casos mais graves até a artrose. Uma suplementação de colágeno pode ajudar a estimular uma maior produção de colágeno, melhorando estes sintomas.

Veja com seu médico ou nutri se há uma indicação para o uso! No mercado há vários tipos de colágenos. Pergunte o mais indicado para você ! 




segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Dietas detox para o início do ano: funcionam?

Começou o ano e muita gente quer correr atrás do prejuízo na dieta. O período pós festas é aquele que a gente sempre procura uma boa receita para desinchar e perder os quilinhos extras adquiridos no mês de dezembro.
Neste período do ano é muito comum vermos as dietas detox prometendo grandes milagres, mas na realidade sabemos que o milagre não existe.
O que eu sempre recomendo é manter sua rotina baseada numa dieta de comida de verdade, com o mínimo de alimentos industrializados, evitar corantes e conservantes e tudo o que pode dar mais “trabalho” para seu fígado metabolizar. Essa é a base da dieta detox real, mas que deveria fazer parte da nossa vida e não ser feita por apenas um único período do ano.
O que também temos nas dietas detox, são a inclusão de alguns alimentos com a característica de ajudar o fígado a funcionar melhor. Um bom exemplo são os alimentos dos grupos das brássicas: agrião, brócolis, couve, couve de Bruxelas, couve flor, mostarda, nabo, rabanete, rábano, repolho, rúcula e brotos. Você pode investir nestes alimentos, inclusive na forma de sucos e sopas. Apenas cuidado com o seu excesso se você apresenta hipotireoidismo.
Um outro ponto de extrema importância é a água. Invista neste período em bastante água, pois é ela que ajuda seus rins a funcionarem melhor e auxilia no processo de eliminação de toxinas.
Outra dica é utilizar alguns chás diuréticos como hibisco ou cavalinha, mas sempre sem adoçar e feito da própria planta.
Mas a verdade é que não existe uma dieta detox padrão e nem um milagre. Minha dica é você voltar a sua rotina normal de exercício e dieta e evitar refeições com mais açúcares ao longo da semana.
E para finalizar, deixo aqui duas receitas para vocês experimentarem! Elas podem ser feitas nesta época, mas também incluídas na sua rotina normal.
Espero que gostem!
Abraços e feliz 2017!


Suco
água = 350ml
1 folha de couve
1 cenoura pequena + 1/2 pepino
folhas de hortelã + 1 pitada de gengibre
1 colher de chá de gergelim
1 colher de sopa de chia
½ limão espremido
1 maçã pequena ou 1 pera 

Sopa
4 colheres de sopa de couve picada
2 colheres de sopa de brócolis
½ cebola picada
½ cenoura
1 colher de sobremesa de semente de girassol triturada
1 colher de sopa de azeite de oliva
3 colheres de sopa de peito de frango picado
½ limão para temperar
Pimenta para temperar

400ml de água

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Beta caroteno e verão


Você que fica vermelho quando toma sol, saiba que a alimentação pode ajudar a amenizar este problema. Neste período do ano é muito interessante o consumo de alimentos fontes de betacaroteno, uma provitamina A, que atua como um fotoprotetor.

O betacaroteno está presente em frutas e legumes de coloração amarela/laranja e folha verde-escura. É um excelente antioxidante, favorecendo o combate aos radicais livres e também à radiação solar. 

Os principais alimentos fonte de betacaroteno são cenoura, batata-doce, caqui, abóbora, mamão, manga, carambola, pêssego, nectarina, chicória, agrião, couve, endívia, espinafre.

O ideal é começar a ingestão no mínimo 20 dias antes da exposição ao sol para conseguir alcançar a epiderme da pele, o que efetiva a sua função de maior permanência do bronzeado produzido pela melanina.

A quantidade de consumo recomendada para um adulto, em média, representa três colheres de sopa de cenoura ou abóbora batida no suco de do café-da-manhã, duas colheres de sopa de batata-doce no almoço, um caqui médio ou uma manga-espada média.

Você pode também optar pela ingestão do suplemento de beta caroteno com indicação do seu nutricionista ou médico, mas muito cuidado, pois o excesso pode levar à tonalidade amarelada na pele, principalmente na palma das mãos e na planta dos pés.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Kefir



Kefir é uma bebida fermentada, geralmente preparada à base de leite. O kefir é uma cultura viva. Conforme essas culturas fermentam o leite, essas estruturas crescem, criando novos grãos no processo. O verdadeiro kefir, de culturas vivas, é um processo infinito de auto-propagação.
O kefir tem muitos benefícios já conhecidos. Ele tem propriedades antivirais e antifúngicas. Tem sido usado como parte do tratamento de uma grande variedade de problemas como desordens metabólicas, melhora de imunidade, alergias, má digestão, candidíase, osteoposose, problemas intestinais, entre outros.

Como usar?
Há 2 tipos de kefir: o de leite e o de água.
Quando você ganha os grãos de kefir, eles virão embebidos no líquido (água ou leite). A cada dia você deve peneirar esta mistura. O líquido coado é o que você irá consumir. O que fica na peneira são os grãos de kefir, que você deve colocar de volta num recipiente fundo de vidro e completar com leite ou água + açúcar mascavo. Nunca tampar o pote de vidro e deixar sempre fora da geladeira. Procure utilizar sempre utensílios de plástico ou silicone para manusear seu kefir.
A proporção indicada é de 1 colher de sopa de grãos de kefir para cada 500ml de leite. Para o kefir de água, utilize 2 colheres de sopa de grãos para 1 colher de sopa de açúcar mascavo em 500ml de água.
Você pode usar o kefir no preparo das vitaminas, substituindo o leite. Se você utilizar o de água, tome pela manhã em jejum.

Quanto consumir? 1 copo de kefir por dia (do liquido que você vai coar). Caso ocorra gases com o consumo, consuma apenas ½ copo até ocorrer a adaptação.

O que fazer se eu for viajar?
Deixe seu kefir no leite mesmo ou na água e coloque no congelador. Após descongelar, o kefir pode demorar alguns dias para voltar a trabalhar. O de leite pode demorar uns 3 dias e o de água pode demorar uma semana até 1 mês!


Como obter o kefir? Sempre por doação. Procure no google ou grupos no facebook.

sábado, 24 de setembro de 2016

Evento Girls Night Out - New Balance

Essa semana fui convidada para um evento muito bacana só para mulheres chamado Girls Night Out, em Campinas - SP, promovido pela New Balance Brasil.

O evento começou com um bate papo comigo, com a modelo Carol Bittencourt, com a dermatologista Dra. Daniela Leal e a Personal Bruna Guido.

No bate papo falamos de vários assuntos, e um dos assuntos abordados sobre nutrição foi o uso do bulletproof coffee para pré treino. Minha opinião sobre o assunto foi que sim, pode ser interessante especialmente pela presença do óleo de coco, que possui TCM (triglicerídeos de cadeia média), que é uma fonte de energia super interessante para treinos, mas funcionaria melhor para quem já segue uma alimentação de baixo carboidratos. 
Outra questão que conversamos foi sobre suplementação de proteínas para vegetarianos, que acabo indicando as proteínas de arroz ou ervilha para pós treino.


Depois do nosso bate papo tivemos aulas de spinning, meditação, yoga e uma aula com o pessoal do Mahamudra.

Adoro esses eventos para mulheres. Esse evento acontece no mundo inteiro. Fique de olho se não vai acontecer na sua cidade!! O site é girlsnightout.com!


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Gordura saturada

A gordura saturada é um daqueles assuntos da nutrição que já foi de vilão a mocinho. Ainda há uma certa confusão quando falamos deste tipo de assunto, pois por muitos anos ela foi condenadíssima.
A gordura é um nutriente que promove bastante saciedade e ativação do centro de prazer no nosso cérebro. De uma maneira geral, quando há uma redução no consumo de gorduras tendemos a aumentar o consumo de carboidratos, em especial os refinados de alto índice glicêmico, como arroz branco, pão, açúcar, doces, etc. Isso ocorre especialmente por esses alimentos também causarem uma sensação de prazer quando consumidos.
Isto foi o que aconteceu com a indústria de uns anos pra cá. Depois do boom que a gordura fazia mal, começaram a desenvolver produtos light e diet, tendo substituído a gordura natural de alguns alimentos (como o leite integral) por alimentos com menos gorduras e mais carboidratos (como o leite desnatado, por exemplo).
Mas o grande problema de tudo isso é que o aumento do consumo destes carboidratos pode levar ao desenvolvimento da dislipidemia aterogênica associada a resistência à insulina e a obesidade, o que inclui aumento de triglicerídeos, LDL pequenas (que são as mais perigosas) e redução do HDL-colesterol. A grande ingestão de carboidratos ainda estimula a síntese hepática de gordura saturada, ou a chamada síntese de novo. Portanto, não consumir gorduras saturadas e consumir mais carboidratos faz com que seu próprio corpo aumente a produção de gordura saturada endógena (interna) pelo fígado.
Mas afinal, consumir gorduras saturadas faz mal ou não? Não! Isoladamente sabemos que o consumo de gordura saturada não faz mal, obviamente desde que não seja um consumo excessivo (como tudo o que comemos!). A gordura saturada pode atuar como inflamatória em pouquíssimas pessoas devido a um polimorfismo, ou seja, um tipo de alteração genética. Estes sim podem estar susceptíveis a este quadro inflamatório por alguns tipos de gorduras saturadas, mas isso é uma MINORIA! A maioria da população não se encaixa neste quadro.
O problema está nos extremos, ou seja, o excesso do consumo de gordura saturada associada a um quadro inflamatório, com excesso de carboidratos refinados, estilo de vida inadequado, fumo, sedentarismo, etc. Portanto, temos que levar em consideração os efeitos na saúde de toda a dieta, o efeito inflamatório da dieta associado a fatores não dietéticos, em oposição a uma visão limitada em se estudar os nutrientes apenas isolados.
A minha única ressalva é a seguinte: quando falamos do consumo de gordura saturada de origem animal, sabemos que atualmente os animais em geral são alimentados com rações ricas em ômega 6, agrotóxicos e antibióticos. Estes xenobióticos são armazenados na gordura dos animais e acabamos ingerindo os mesmos quando consumimos desta gordura. Os estudos mostram que a concentração alta de xenobióticos no nosso organismo está correlacionada com PCR alta, diabetes tipo 2, incidência de síndrome metabólica e doenças cardiovasculares, ou seja, ser mais “poluído” internamente causa resistência a insulina por dano mitocondrial. Portanto, vale a pena ter cuidado com seu consumo excessivo, justamente por estas questões que hoje fazem parte do nosso dia-a-dia, já que a maioria da população não tem acesso fácil ao animal criado solto, sem estas condições.

Para finalizar: não vale dizer que comer gordura saturada vai te matar e também não vale só comer gordura saturada. Você pode ter o consumo desta gordura dentro de um plano alimentar adequado, anti-inflamatório, mantendo um estilo de vida saudável e sempre consumindo a gordura natural dos alimentos. E viva sua vida feliz! Sem extremismos e radicalismos.